Falta de energia e atraso marcam 1º turno da eleição no interior do Amazonas

Notícias

A eleição suplementar para o Governo do Amazonas que acontece neste domingo (6) em todo Estado, ocorre com atraso e utilização de fontes de energias alternativas em alguns municípios. Na Comunidade Remansinho, no Vale do Javari, em Atalaia do Norte (à 1.138Km distante de Manaus, em linha reta) a votação iniciou às 10h15 (horário local), 9h15 no horário da capital amazonense por conta do tempo fechado.

“Teve uma questão logística local na hora do transporte das urnas. No meio da floresta tem muita cerração e o Exército só levanta a aeronave quando ele [o piloto] consegue ver onde vai posar. Por isso o avião só saiu às 8h”, disse o secretário de tecnologia do TRE-AM, Rodrigo Camelo.

Em Iranduba, nas Ilhas da Paciência e Jucurutu, a votação ocorre com a ajuda de uma bateria externa, pois as ilhas não possuem fonte de energia elétrica própria. Nestes locais, especialmente, a votação para governador e vice ocorrerá até às 23h.

Em Manacapuru, terceiro maior colégio eleitoral do Amazonas, a votação ocorre com tranquilidade. O município, que fica na Região Metropolitana de Manaus, tem cerca de 63 mil eleitores, divididos em 210 seções eleitorais. Até o fim da manhã, apenas uma urna apresentou problemas. A mesma foi substituída pela equipe do TRE. A Aeronáutica e a Polícia Militar atuam na segurança do pleito.

Fila para votar em Tabatinga é grande em algumas seções  (Foto: Rônei Elias/Rede Amazônica)Fila para votar em Tabatinga é grande em algumas seções  (Foto: Rônei Elias/Rede Amazônica)

Fila para votar em Tabatinga é grande em algumas seções (Foto: Rônei Elias/Rede Amazônica)