Fiscalização notifica 11 bares e ‘fecha’ banda de carnaval em Manaus

Notícias

Onze bares foram notificados por falta de documentos e uma banda de carnaval teve seu encerramento antecipado por descumprir o limite de público e gerar insegurança aos brincantes, informou a Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM). Os números dizem respeito à Operação Alegoria Proibida, iniciada na noite de sábado (6) em Manaus.

Bares e casas noturnas do Centro, Educandos, Coroado, Jorge Teixeira e Nova Cidade foram fiscalizados. Onze foram notificados pela falta do Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros, concedido aos empreendimentos que atendem aos critérios de segurança contra incêndios e evacuação em emergência. Um tumulto foi registrado em na banda de carnaval do DJ Evandro Jr, na Zona Norte de Manaus.

O titular da SSP-AM, Bosco Saraiva, disse que a organização do evento será intimada e poderá responder criminalmente. De acordo com a secretaria, houve empurra-empurra na entrada do público e a tropa do Comando de Policiamento Especializado da PM (CPE) foi ao local para controlar a situação.

Ao G1, a assessoria de comunicação do shopping Via Norte, onde a festa ocorreu, informou que foi dado “todo o apoio aos organizadores, às autoridades e ao público presente”.

No momento em que a equipe da Operação Alegoria Proibida chegou, os organizadores não tinham em mãos a declaracão de autorização do evento em conformidade com a Lei 2812/2003, que trata sobre segurança contra incêndio e pânico. Com isso, a SSP-AM determinou a notificação dos organizadores e do shopping center e o encerramento antecipado dos shows.

Fiscalização em bares de Manaus (Foto: Divulgação/Secom)Fiscalização em bares de Manaus (Foto: Divulgação/Secom)

Fiscalização em bares de Manaus (Foto: Divulgação/Secom)

Segundo o Comandante-Geral do Corpo de Bombeiros, coronel Mauro Marcelo de Lima Freire, o evento tinha o dobro do público previsto no projeto dos organizadores, deixando vulnerável a segurança dos brincantes.

“Eles estavam sem a autorização adequada. O evento era para 4 mil e tem 10 mil pessoas. Além disso, não há equipes de brigada de emergência em número suficiente, o que põe em risco a vida das pessoas que vêm brincar”, destacou.

Os notificados pelo Corpo de Bombeiros têm até 15 dias para apresentação de documentos e regularização de pendências. No caso do bloco carnavalesco, os organizadores e o shopping serão multados por não terem controle na entrada e extrapolarem o limite de público.